Recent Posts

Saiba se amortecedor recondicionado é uma boa compra

Saiba se amortecedor recondicionado é uma boa compra

É verdade que se deve evitar instalar amortecedores recondicionados em carros? De fato, encontrar a peça nova é o ideal e mais aconselhado por estudiosos. Apesar disso, se o amortecedor do seu carro já não existe mais no mercado de peças ou se está dificultoso 

Lavagem de carros adequada? Descubra como

Lavagem de carros adequada? Descubra como

Nenhum condutor adora andar com o carro imundo. Além de passar a sensação de automóvel descuidado, a poeira e outras impurezas podem sujar as roupas e ainda causar um stress na hora do programa dos fins de semana. Em função disso, nunca foi tão primordial 

Mitos que atrapalham a utilização do cinto de segurança

Mitos que atrapalham a utilização do cinto de segurança

LENDA: O cinto gera desconforto e é insuportável

FATO: Primeiramente, as pessoas podem achar os cintos de segurança desagradáveis, confinantes ou insustentáveis, meramente porque não estão acostumados a utilizar esse primordial equipamento de proteção. Os indivíduos que já fizeram do uso do cinto um costume podem atestar que, dado que sua utilização torna-se um hábito, não existe incômodo ou inconvenientes. Lembre-se sempre que o grave desconforto provocado pelos graves acidentes com automóveis de maneira alguma se compara ao desconforto que você pensa sentir empregando um cinto de segurança.

MITO: O cinto está falhando ou não está funcionando

mitos-cinto-seguraca FATO: É preciso que todos constatem que os cintos de ombro mais modernos são feitos para que você possa se deslocar confortavelmente, mas eles ainda irão ser bloqueados no decurso de paradas bruscas ou falhas. Inúmeras pessoas confundem esta liberdade de deslocamento como um mecanismo defeituoso. Os cintos de 3 pontos, mais novos, são projetados para travar somente na ocasião em que o carro altera de velocidade ou de direção de repente, e não quando o ocupante altera de lugar.

MITO: airbag substitui o cinto

FATO: Airbags oferecem proteção suplementar em colisões de frente, mas os motoristas podem escorregar embaixo deles, se não estiverem empregando um cinto de segurança. Além do mais, os airbags não auxiliam no impacto de lado ou traseiro ou colapsos de rolagem. Os condutores têm que utilizar um cinto de segurança para proteção em todos os episódios de falhas.

MITO: o cinto pode me deixar preso em um acidente com fogo ou água

FATO: Acidentes com fogo ou água ocorrem em só cinquenta por cento de todos os imprevistos. Então, isto não acontece frequentemente. Em contrapartida, na ocasião em que eles ocorrem, a melhor possibilidade de subsistência consiste em continuar desperto, sem ferimentos e em plena posse de suas faculdades. O maior risco é o impacto que precede o fogo ou a submersão na água. Se você não estiver usando um cinto de segurança, é bem provável que você seja golpeado desacordado ou perigosamente ferido. Se você estiver com cinto, é bem possível que você seja capaz de desabotoar o cinto e sair de uma condição de incêndio ou do veículo submerso.

MITO: Antes solto do que preso em uma batida

FATO: Ser jogado para fora do veículo com segurança em uma colisão é quase improvável. Quando você é lançado, você pode sair pelo para-brisa, ser arrastado por sobre o asfalto, ou até mesmo atropelado pelo seu próprio automóvel. A hipótese de ser lançado de um carro e aterrissar suavemente em uma região macia do lado da estrada é verdadeira imaginação. Sua melhor opção em uma batida é ficar no interior do automóvel, seguramente preso pelo cinto de segurança.

LENDA: eu sou capaz de ficar machucado em uma colisão, se estiver com o cinto?

cintos-seguranca-machucam FATO: os cintos de segurança usados de forma correta dificilmente ocasionam ferimentos. Se o fizerem, as lesões costumam ser machucados leves e, geralmente, são menos graves do que seria o caso sem qualquer cinto. Sem cintos de segurança, você teria sido lançado longe do automóvel e ficado gravemente ferido. É fato que, às vezes, a força de um acidente é tão potente que nada poderia impedir ferimentos. Estudos mostraram veementemente que os machucados em pancadas mais sérias teriam sido muito mais graves se os cintos de segurança não fossem utilizados.

LENDA: Para distância curta, eu não tenho necessidade de cinto

FATO: Este é a frase que tantas pessoas que residem em áreas rurais dizem quando questionadas por qual motivo não utilizam cinto. É fundamental recordar que a maior parte dos falecimentos por colisões ocorrem no intervalo de 40 quilômetros de casa e a velocidades de menos de 60km/h. Isto destaca que a condução diária de uma habitação de um bairro para outro, para a faculdade, ou para a mercearia da esquina representa o maior risco.

LENDA: Acidente acontece em chances pequenas e eu jamais irei me envolver em algum

FATO: Esta é uma atitude que é geral para tudo o que fazemos. É confortável pensar que os acidentes apenas acontecem com outros indivíduos. Ainda assim, uma em cada três pessoas vai ser seriamente ferida em um acidente de carro em qualquer momento ao longo de suas existências. Esse é, realmente, um risco significativo. Nós nunca sabemos quando isso ocorrerá ou como isto vai ocorrer. A solução: utilizem sempre o cinto.

LENDA: Eu nunca vou me acidentar

FATO: você é capaz de ser um excelente motorista, mas você não pode controlar os outros motoristas nas estradas. As estatísticas vinculadas aos acidentes de veículos e aos condutores embriagados são devastadoras. Ainda que você esteja dirigindo defensivamente, um condutor bêbado que se aproxima na próxima curva pode não ser. De novo, você nunca sabe o que pode acontecer. Divirta-se de forma segura. Ponha o cinto em todas as viagens.

Como selecionar o adequado pneu para o seu automóvel

Como selecionar o adequado pneu para o seu automóvel

Com milhares de pneus acessíveis, escolher o pneu certo para o seu veículo e as necessidades individuais de condução podem parecer amedrontadores. Aqui está um guia aos diversos pneus disponíveis e os pontos a levar em conta ao selecionar seus pneus novos. Como perceber o 

Curiosidades a respeito dos carros – veja aqui

Curiosidades a respeito dos carros – veja aqui

Diversas pessoas se dizem entendidas de carros, contudo existem determinadas informações que, em algumas ocasiões, são repassadas de forma errada ou imperfeita, fazendo com que nossa ideia a respeito do veículo seja mais lenda do que verdade! Observe aqui certas curiosidades e informações relevantes com 

Mantenha a manutenção do veículo em dia

Mantenha a manutenção do veículo em dia

Dirigir um automóvel sem que você tenha segurança do quão bom ele está é uma situação bastante incômoda, não é mesmo? Para auxiliar você, separamos algumas informações para que você possa ficar antenado na manutenção preventiva e corretiva e da importância da conservação do seu automóvel!

Calibragem feita de maneira equivocada provoca despesas para o condutor

Para o motorista, o maior problema dos pneus mal calibrados é a perda de constância e trepidações no volante. Para o automóvel, a baixa quantidade de pressão gera degradação rápido de peças da suspensão e dos próprios pneus.
Ainda por cima, existe o consumo em demasia de gasolina. Porém não é exclusivamente a baixa pressão que gera problemas nos pneus. Encher mais do que é aconselhado é mais um deslize.
O exagero de pressão proporciona o desgaste excessivo da banda de rolamento e agravos ao alinhamento do carro.
Mais uma dica de enorme importância é jamais fazer a calibragem dos pneus após um prolongado trajeto.
A alta temperatura faz com que eles ampliem seu tamanho, dessa forma não revelando o número exato da pressão do interior da borracha.
A calibragem tem que ser efetuada uma vez por semana ou, na melhor das hipóteses, quinzenalmente.

Problemas no freio? Descubra meios eficazes para determinar isso!

1 – Espessura Há um objeto de atrito das pastilhas com o disco de freio, a espessura desse material precisa ser de três milímetros.
Oficinas especializadas em freios são aptas a fazer essa medição e aferem se a espessura está abaixo do sugerido.
2 – Tempo de frenagem Se o automóvel está apresentando menor eficiência na frenagem ou parando em tempo superior ao normal, o sugerido é aferir as pastilhas.
3 – Pedal Baixo Para saber se o pedal de freio está ok, ao ser pressionado, ele precisa descer até a metade e em seguida provocar uma impressão de que se chocou em qualquer coisa sólida. Se o pedal estiver descendo mais fundo que o habitual leve seu veículo para uma revisão.
4 – Luz Alguns veículos dispõem de uma luz no painel que indica quando a pastilha está desgastada. Na ocasião dela acender, obviamente está no momento de substituir as pastilhas de freio.

Tamanho dos pneus impacta na dirigibilidade

manutencao-carro Todo pneu possui diretrizes encontradas nas laterais que estão relacionadas as medidas de largura, o tamanho do aro, a carga máxima sustentada, dentre outros.
Tudo isso impacta diretamente nas características de dirigibilidade do seu veículo. Um pneu mais grosso será mais duro, em outras palavras, mais estabilizado.
Esse padrão de pneu é o melhor para veículos de grande carga e do mesmo modo para os que dispõem de maiores torque e potência. A largura e dureza dos pneus evitam a perda de tração durante a condução do veículo. É necessário prestar muita atenção quando trocar os pneus do seu automóvel.
Dado que com medidas exageradas geram muitos prejuízos na condução do seu veículo. Os fabricantes concedem as medidas dos pneus que devem ser usados em seu automóvel, assim garantindo uma melhor experiência para você conduzir.

Amortecedor desgastado, motorista IRRITADO!

amortecedor-carro Na maioria das vezes, a importância necessária não é dada ao amortecedor do carro por ele não mostrar-se tão evidente. Mas, temos de levar em conta que é devido a ele que temos segurança e maior comodidade no interior dos nossos automóveis. Conforme uma pesquisa feita pela Monroe, o dano do amortecedor influencia totalmente no esgotamento do condutor, em que um amortecedor com apenas metade da sua eficácia consegue aumentar em vinte e seis por cento a exaustão do motorista. Fora a fadiga, os testes da Monroe afirmaram que o estado ruim dos amortecedores, influencia também ao longo da frenagem, onde pode-se adquirir uma marca maior de 2,5m no momento da frenagem. Desse modo, temos uma elevação notável nas chances da ocorrência de um acidente. Portanto, é de suma importância que você realize uma revisão em seus amortecedores a cada 10 mil quilômetros rodados.

Conheça os principais sinais de avaria nos amortecedores

Travagem: O fato de conduzir o seu automóvel com os amortecedores muito avariados expande o distanciamento de travagem do seu carro.
A iluminação do carro: A partir do momento que os amortecedores não estão nas melhores condições, os faróis da frente balançam e não clareiam as ruas de maneira uniforme.
Os pneus: o sistema de amortecimento, no momento em que se encontram corroídos, aumentam a deterioração dos pneus e evitam que esses se adiram de uma maneira correta com o asfalto.
Desempenho no trajeto: Na ocasião em que percebe que o seu automóvel começa a “zarpar” em uma curva, ou que estremece sempre que se depara com uma ventania mais intensa.
A direção do automóvel: no tempo em que a condução do veículo permanece fora de alinhamento logo após o condutor realizar uma curva. O volante fica com dificuldade na hora de regressar para a sua posição de origem e o motorista é “constrangido” a fazer o alinhamento das rodas do veículo.

Veja como localizar se o amortecedor do automóvel se encontra estourado

De fundamental importância para o movimento dos automóveis, os amortecedores funcionam para essencialmente manter as rodas em contato com o solo e auxilia na absorção dos impactos sofridos pela lataria nas vias cheia de buracos das cidades grandes.
Os principais efeitos de um amortecedor estourado são:- Retorno insuficiente da direção, rigidez ou ruído em grande quantidade;
– Vazamento frequente de fluido do amortecedor ou da estrutura da suspensão;- Amortecedor amassado ou avariado;
– Inclinação excessiva ou inconstância ao longo da frenagem;
– Oscilações ou inclinação na ocasião de troca de faixa;
– Desgaste de forma anormal das rodas;
– Direção demasiada rígida, irregular ou instável;
Fique esperto se o seu carro manifesta qualquer um desses problemas. Se manifestar, busque o mais rápido possível uma oficina e faça a troca das peças.

Quatro sugestões interessantes para acertar com o óleo do automóvel

1 – Tempo de troca de óleo

Ela será realizada no período recomendado pelo fabricante. Essa informação está bem clara no caderno de instruções. Se você ainda não sabe, consulte o manual.

2 – Completar o nível de óleo

Com o uso constante do veículo, o nível do óleo reduz um pouco em razão das folgas do motor e a queima parcial no compartimento de combustão. Dessa forma, enquanto não chegar a hora da troca do óleo, vá completando a quantidade. Isso não é errado.

3 – Sistema de filtragem de óleo

No tempo em que trocar de óleo, é importante trocar o filtro de óleo também. Este procedimento irá garantir que seu motor não fique com sujeiras em excesso.

4 – Óleo preto

Despreze a história de que óleo escuro significa que está velho. Longe disso, caso esteja preto significa que está lubrificando do jeito certo. O que deve ser verificado são os prazos de troca os quais são evidenciados no manual do proprietário.

Problemas mecânicos ocasionam dificuldades no momento da mudança de marchas

Em determinadas ocasiões, a complexidade no engate das marchas é um problema na mecânica, veja:
Cabo de embreagem – O principal sinal do cabo de embreagem com defeito é a partir do momento que o pedal fica pesado.
Fluido de embreagem – Nos carros que apresentam sistema hidráulico de embreagem, é vital realizar a conferência do fluido e acompanhar a orientação do fabricante a respeito de trocas.
Estrias do disco – A falta de lubrificação ou a oxidação do eixo piloto interfere no movimento do disco.
Platô – A abertura do platô de embreagem fica comprometida no tempo em que uma ou mais chapas tangenciais encontram-se deformadas. Rolamento do eixo piloto – Na ocasião em que está avariado, gera ruídos ao longo do acionamento da embreagem e ao arrancar com o veículo.
Óleo na caixa – Se não modificado conforme as especificações, a caixa pode ocasionar barulhos e desgaste demasiado em suas engrenagens.

Catalisador com defeito aumenta consumo de combustível

O catalisador é o componente central do automóvel responsável pela diminuição de poluentes ao meio ambiente. Além de ser exigido por lei, ele é crucial para o bom desempenho do motor.
Em casos de funcionamento irregular, o carro sofrerá com consumo maior de gasolina. A maneira mais indicada de conservar o catalisador é executar satisfatoriamente a assistência preventiva.
Motor desajustado, velas com sujeira e injetores de combustíveis precisando de conserto estão entre os vilões centrais do catalisador.
de combustível com adulteração também é capaz de prejudicar a peça. Caso o catalisador esteja com mau funcionamento, o motorista pode sentir os efeitos, além do gasto excessivo.
Os mais comuns são: aceleração com lentidão, arranque difícil e perda de potência em velocidades perto de 80 km/h.

Combustível Alterado É capaz de Obrigar Lavagem no Tanque

Abastecer com gasolina duvidosa pode obrigar a lavagem do reservatório. Em automóveis fabricados anterior ao ano 2000, a limpeza era bem indicada.
No momento atual, caso o combustível adotado seja de ótima proveniência, não existe precisão de executar a limpeza do reservatório.
Se acontecer de você utilizar combustível de origem questionável e constate determinados inconvenientes no carro, busque um especialista para lavar o tanque.
A sujeira acumulada no tanque tem possibilidade de ir junto com o combustível para o motor e afetar outros componentes. O mais habitual é gasolina com excesso de álcool, o qual possivelmente causa sérios problemas a carros os quais não são flex, contudo há também combinação com substâncias proibidas, sem falar do etanol e diesel com grande quantidade de sujeira.

Cuidados com a embreagem evitam desgaste precoce

cuidados-com-carro – Evite deixar o carro engrenado no momento em que estiver parado.- Não descanse o pé sobre o pedal da embreagem. Essa prática separa o platô do disco e gera o lixamento do disco.
– Não arranque com o carro na segunda marcha. Priorize sempre a primeira marcha para começar o deslocamento e assim sucessivamente.- Ao variar a aceleração, troque de marcha gradualmente, regularmente e consoante com as rotações do motor.
– É considerável acertar a a sincronização no tempo de soltar a embreagem e acelerar o carro para arrancar. Uma vez que acelera demais e solta pouco a embreagem, ocorre a famosa “queimada da embreagem”.
– Caso o automóvel esteja em um lugar com nivelamento inclinado, num morro, por exemplo, nunca utilize a embreagem/acelerador com intenção de manter o veículo parado. Recorra ao freio de mão para isso.

Saiba sobre bicicletas motorizadas

Saiba sobre bicicletas motorizadas

Há sempre uma grande quantidade de respostas prontas no momento em que indicamos que, possivelmente, os automóveis elétricos não sejam a resposta aos problemas ambientais, e que provavelmente os automóveis autodirigidos não conservem o planeta Terra. Vetar veículos movidos a combustíveis fósseis não é suficiente. 

Veja como conservar adequadamente o carro

Veja como conservar adequadamente o carro

Conduzir com atenção não é somente conduzir com segurança; é ainda acerca de como cuidar bem do seu veículo.Por exemplo, você não deve sair cantando pneus e conduzir em velocidade excessiva. Isso provoca degradação de seu motor, do sistema de direção e dos pneus, principalmente 

Saiba os porquês de manter seu veículo higienizado

Saiba os porquês de manter seu veículo higienizado

Conduzir o automóvel sujo não é unicamente anti-higiênico, porém ainda tem a possibilidade de trazer certos prejuízos no que diz respeito à conservação.
O mais indicado é que o automóvel seja higienizado, pelo menos, uma vez no mês. A carroceria também precisa ser polida no período de duas a quatro vezes por ano. O primeiro ponto relativo a limpeza do carro é que o motor não precisa ser limpo.
As fabricantes não sugerem a lavagem devido à grande quantidade de fios dos equipamentos eletrônicos bastante utilizados nos veículos dos dias atuais. A carroceria dos carros é o que mais sente com a falta de limpeza. O barro acumulado tem chance de causar pequenos riscados na carroceria, nos faróis e nos vidros.
Outro fato interessante é que um automóvel imundo é capaz de gastar por volta de 7% além do necessário de combustível devido ao aumento do atrito entre o ar e a sujeira da carroceria.

Quando voltar da praia, lave o automóvel para evitar corrosão

carro-limpo No caso de você ir à praia nas comemorações do final do ano ou nas férias, recorde-se de limpar devidamente seu veículo na volta.
A maresia tem a possibilidade de avariar alguns equipamentos do carro. Fique frio, não existe motivo para entrar em pânico nem sequer para desistir do passeio. Seu carro não apodrecerá depois de um período à beira-mar, porém uma limpeza completa é fundamental.
Quem vai ocasionalmente para a praia, eis uma sugestão: lave sempre seu carro assim que regressar, de preferência no mesmo dia ou no outro dia.
Isto auxiliará a tirar totalmente o sal e tudo mais que tenha ficado da praia pela carroceria do automóvel.
Já, para aqueles os quais vivem perto da praia, não tem outra forma: limpe o veículo toda semana e, se possível, realize o polimento do automóvel a cada mês. A cera age na forma de uma proteção que evita a corrosão.

Saiba como limpar o veículo após chuvas intensas

carro-na-chuva Depois de locomover-se ou ter o veículo dominado pela água, é importante realizar uma grande limpeza no carro. As inundações na maioria das vezes acarretam em muitos prejuízos para o condutor. Saiba como higienizar seu automóvel:
1 – Remova o carpete e faça a limpeza utilizando produtos exterminadores de bactérias, mofo e germes;
2 – Retire totalmente o feltro antirruído do carro e jogue-o fora. Após molhar, o feltro parte de sua eficiência fica comprometida e se torna imprestável
3 – Após a retirada dos tapetes e feltros, lave o assoalho por completo com shampoo biodegradável;
4 – Desmonte toda a parte interna, incluindo os bancos e realize a limpeza;
5 – É indispensável deixar todo o assoalho seco.
Dá trabalho. Entretanto, com o intuito de evitar o mau cheiro, a umidade e o acúmulo de sujeiras, esta limpeza torna-se essencial para o seu veículo.

Sugestões do que saber antes de adquirir um carro velho

Sugestões do que saber antes de adquirir um carro velho

A expectativa de adquirir um carro, mesmo que seja um carro usado, faz com que muitos motoristas não se lembrem de ver pontos importantes no momento da compra.Estar financeiramente organizado, entender do motor do automóvel, compreender a procedência do carro são questões primordiais que precisam